top of page
Buscar

Relações Internacionais e suas Áreas de Atuação

Por: Juliana Rodrigues

Você sabe o quê um internacionalista faz? Ou melhor, já parou para pensar em tudo que o profissional de Relações Internacionais pode fazer?

Com toda certeza, você que já é formado, está cursando ou até mesmo pensa em fazer essa graduação, já ouviu alguma pergunta sobre a existência de emprego ou qual sua área de atuação.

E a verdade é que podemos atuar em muito mais áreas do que às vezes imaginamos.

Relações Internacionais é um curso relacionamento novo e justamente por esse motivo acaba sendo composto por muitas dúvidas. O internacionalista é um profissional que possui uma bagagem e linha de atuação muito ampla. Um profissional híbrido que consegue caminhar de uma forma interessante entre às ciências humanas e sociais.

É muito comum associar que o primeiro caminho a ser trilhado por um profissional graduado em Relações Internacionais é o da diplomacia. Iniciar a faculdade com esse objetivo em mente também.

Uma área imensa de possibilidades. É possível juntar Relações Internacionais com moda, esportes e o que mais acharem interessante. Atualmente, com o grande avanço da tecnologia, é esperado e indicado que às profissões se reinventem

Em Relações Internacionais essa adaptação na maioria das vezes não precisa acontecer ao pé da letra. Ainda que os profissionais enfrentem um certo deslocamento dentro do mercado de trabalho, possuem ferramentas necessárias para se adaptarem de uma forma muito interessante em qualquer área.

Atualmente, o profissional dessa área possui uma grande liberdade para atuar em praticamente todas às áreas existentes.

Pode ser interpretada como um iceberg que esconde muita coisa em sua profundidade. Muitos estudantes por exemplo, não imaginam a quantidade de carreiras que podem vir a seguir após se formarem.

Foi se o tempo em que cursos eram extremamente parados e sincronizado. É uma ciência humana, e logo, abre leques incontáveis. O diálogo caminha junto com a questão teórica e prática do curso durante toda a graduação e mercado de trabalho. Ser um profissional de Relações Internacionais geralmente exige um certo autoconhecimento e um aprofundamento de tudo que essa formação pode lhe oferecer. É muito mais do que ser diplomata ou trabalhar na ONU.

Vivemos a época da globalização. Das conexões. Isso se não a época da pós globalização. A era da intensificação. Os países estão interdependentes em todas às áreas. É necessário que exista um profissional que cuide desses diferentes tipos de relações, contratos e situações.

O primeiro passo para encontrar uma área de atuação que mais combine com você, é sair da zona de conforto. Praticamente nada acontece nesse local. Você precisa se arriscar. Conhecer novos horizontes. Novas possibilidades. O internacionalista é um profissional híbrido, empático e muito dedicado ao que faz. E isso faz desde lecionar até internacionalizar uma empresa.

Entender o motivo por qual optou por escolher Relações Internacionais ainda na escola ou até mesmo depois lhe incentivam ao criar um norte. Eu sou um internacionalista, um profissional na minha área e a escolhi pois quero mudar às relações entre refugiados e o recebimento dos mesmos pelos países que fazem fronteiras, por exemplo. Antes de até mesmo encontrar qual das tantas áreas atuais lhe fazem sentido, é entender o motivo de tudo isso.

Existem diversas oportunidades que muitas vezes estão aguardando um novo olhar. Uma nova forma de analisar. Uma nova forma de atuar e até mesmo questionar. A sociedade soberba em que vivemos, altamente interessada no que lucra mais, muitas vezes só permite que uma parte seja tão desenvolvida e trabalhada. A diplomacia, por exemplo e o foco de grande parte dos estudantes estar nisso quando ingressa na faculdade acaba camuflando tantas outras oportunidades. De diplomata a professor. De empresas privadas até organizações internacionais. O internacionalista formado, formando ou que ainda vai começar, precisa estender que tudo isso vai além da ponta do iceberg que conseguimos ver e entender.

A tomada de decisões precisa ser pautada em duas linhas importantes: o motivo de seguir por esse caminho e como fazer do mundo um lugar melhor através do meu trabalho. Não importa qual profissional você seja. Importa o quê você vai fazer com ele. Qual vai ser seu impacto? Qual vai ser seu ponto virada?

Às áreas mais conhecidas dentro da Relações Internacionais são: diplomacia, consultoria, acadêmico, pesquisa, comércio exterior e internacionalização.

O diplomata representa seu país frente outras nações. Indo um pouco mais além, temos a paradiplomacia, nome dado para o que acontece entre municípios, por exemplo, e seus contatos internacionais.

Um professor acadêmico é quem auxilia de uma forma direta na formação de novos profissionais. Geralmente, possui uma formação mais extensa com pós graduações.

Tanto a consultoria, quanto a internacionalização ajudam empresas dentro do cenário internacional e seus desdobramentos. O profissional voltado para o comércio exterior, possui um foco em exportação e importação.

Já o pesquisador é o profissional voltado pelo desenvolvimento de artigos e estudos profundos dentro das Relações Internacionais que auxiliam muito no desenvolvimento do curso e profissão. Existe também analistas de política externa e governamentais, por exemplo.

Diversas áreas dentro de uma mesma ciência. Um leque de opções. Formas incríveis de deixar uma marca no mundo e ser o melhor profissional que puder.

Os internacionalistas infelizmente ainda são preteridos a muitos profissionais de áreas diversas. Por ser um curso relativamente novo, muitas pessoas não o conhecem. Ou acabam o confundindo com outros. Como economia, administração e o próprio comércio exterior. Para que toda essa barreira acabe, é necessário que os internacionalistas se coloquem como protagonistas. Precisam mostrar a diferença entre tantas profissões e o motivo de todas serem necessárias e importantes.

Por fim, que incrível se você quer ser diplomata e representar o seu país. Ou professor e ajudar na formação de novos profissionais. Ou até mesmo um consultor internacional ou ajudar no processo de internacionalização de uma empresa. Que ótimo se você quiser juntar esportes ou moda com Relações Internacionais.

Não importa o caminho que escolha. Mas sim, que seja o protagonista dele.


Bibliografia –

Comunicação, Catho. Onde pode atuar quem estuda Relações Internacionais?. Catho. Disponível em: https://www.catho.com.br/carreira-sucesso/carreira/onde-pode-atuar-quem-estuda-relacoes-internacionais/. Acesso em: 10 de julho de 2021.

25 visualizações0 comentário
bottom of page